fbpx
O Sem Choro é um Guia Infantil voltado para os pais. A Criança é o tesouro. Nós somos o mapa.

Em terra de Redes Sociais…

Desenvolvimento e Educação

Em terras de redes sociais, precisamos nos desconectar.

Olá, Papai e Mamãe! Tudo bem?

Ficou confuso esse título? Calma, que vou explicar.

Uma coisa é fato: os pequenos dessa geração já nascem conectados à tecnologia, são hiper estimulados através de aplicativos e recursos virtuais desde bebês. Porém, esse acesso – muitas vezes sem tempo delimitado – vêm afetando o cérebro das crianças, bem como a forma que elas brincam, se socializam e passam seu tempo. Diante dessa situação, muitos papais e mamães se sentem incapazes de mudar esse cenário. Você faz parte desse time? Se sim, continue lendo, pois precisamos conversar sobre isso.

Como psicóloga infantil, esse é um tema recorrente no consultório, muitos pais apresentam dúvidas sobre o tempo de tela adequado para os filhos, e quais são os possíveis prejuízos que o excesso de tela pode causar. Hoje já temos algumas pesquisas sobre o tema, mas como este é um assunto recente, não há certezas dos resultados a longo prazo.

Na psicologia há um termo que se chama “modelo de trabalho interno”, isso significa que geralmente, os pais têm um modelo ou código de criação que deriva das suas experiências de ser criado e educado. As crianças nascidas a partir de 2010 são a primeira geração que têm esse contato tão próximo com a internet, por isso os pais se sentem perdidos quanto ao tempo de tela dos pequenos. Vocês não têm recursos internos para lidar com essa situação, não viveram a experiência que seus filhos vivenciam hoje. Ao mesmo tempo, há uma série de informações acerca desse tema, e isso acaba causando confusão também. Dito isso, vamos esclarecer algumas questões importantes.

Hoje, a brincadeira passou de uma experiência física e criativa usando brinquedos e a imaginação – algo que é extremamente importante para o desenvolvimento dos pequenos – para algo que envolve sentar na frente de uma tela, a sós, durante horas a fio. Com isso, as crianças ficam distraídas ao chamado dos pais, não querem fazer tarefas e tirá-los da frente da tela é uma batalha constante. Imagino que vocês devem presenciar essa cena com frequência na casa de vocês.

Quais os pontos positivos das telas?

Porém, nem tudo está perdido e a situação não é de toda ruim. Há inúmeros pontos positivos no mundo virtual, como por exemplo, a maneira de nos comunicarmos e até a forma como as crianças aprendem. A internet oferece hoje infinitas possibilidades que facilitam e ajudam os pequenos em diversas situações. Porém, o uso de tela deve ser controlado e supervisionado.

O mais importante que vocês podem fazer é criar e ensinar bons hábitos digitais aos pequenos. Conversem com seus filhos sobre o mundo virtual para garantir que tenham uma relação saudável com as telas. O acesso irrestrito à internet pode provocar diversos tipos de dificuldades, por isso, é necessário impor regras sobre o tempo de tela para os filhos – assim como existem regras para todas as outras situações, como a lição de casa e o horário de dormir.

Comecem desde cedo a criar bons hábitos digitais nos pequenos, antes que isso se torne um problema. A partir do momento em que os padrões de comportamento são internalizados pela criança fica mais difícil de contornar a situação e recuperar o controle.

A melhor hora para criar bons hábitos virtuais é na idade latente – 4 a 11 anos, e a melhor maneira de fazer isso é dando o exemplo. Então, no período de aprendizagem da criança, mantenha você também bons hábitos virtuais, faça mais atividades com seu filho que não necessite de recursos tecnológicos; quando estiver em casa dê atenção total a ele, sem interferência do celular e estipule horários e tempo de tela – de acordo com a idade do seu filho.

Não se esqueçam de se desconectarem um pouco das telas e se conectarem com seus filhos. Tenham tempo de qualidade juntos, pois são essas lembranças que ficarão guardadas com eles.

Espero que tenham gostado do texto de hoje! Deixem suas dúvidas e sugestões nos comentários abaixo.

Um abraço e até a próxima!

 

_________

Amanda Ferraz-Portal Sem Choro

Amanda Ferraz, psicóloga infantil, graduada pelas Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros – MG, especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Iseib de Belo Horizonte, Tutora EaD, Membro do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade e Psicóloga da Rede Psicoterapias. Em BH atua na clínica com atendimento para crianças, adolescentes, além de orientar e ministra palestras e cursos para pais.

Contato: amandafoliveira1@gmail.com • +55 (31) 97553-1837

 

 

Cadastre-se abaixo e receba as novidades do Sem Choro.

[recaptcha]


Comentários