fbpx
O Sem Choro é um Guia Infantil voltado para os pais. A Criança é o tesouro. Nós somos o mapa.

Inglês para bebês

Desenvolvimento e Educação

Inglês para bebês: mitos e verdades sobre a introdução de um novo idioma na primeira infância

Algumas dúvidas muito frequentes de famílias que estão considerando inserir sua criança em um universo bilíngue, envolvem o possível atraso na linguagem e o medo que a criança “sofra” com o excesso de informação. O post de hoje vem para esclarecer dúvidas sobre o inglês (o idioma mais procurado no Brasil) para bebês ou a introdução de algum novo idioma na primeira infância.

Mitos sobre um novo idioma na primeira infância

  •  Expor uma criança a dois ou mais idiomas prejudica a fala

Muitas famílias têm receio em introduzir um segundo idioma na rotina de bebês e crianças, com medo de que isso acabe prejudicando a fala de ambos os idiomas.

Eu mesma tinha esse receio quando tive os gêmeos. Conversei com a pediatra, neuropediatra e li muitos artigos sobre o assunto. Todos foram unânimes: não há atraso na linguagem. A criança vai começar a falar palavras e frases da mesma forma que iria sendo exposta a apenas um idioma.

  • A criança fica confusa quando falam 2 ou mais idiomas na sua rotina

É comum achar que a criança possa ficar confusa quando dois adultos falam idiomas diferentes dentro de casa, mas essa confusão não ocorre na cabeça dos pequenos.

Estudos internacionais com bebês comprovam que a habilidade de mudar o foco de atenção de um bebê bilíngue, é consideravelmente superior à de um bebê monolíngue. Isso ocorre pelo fato de desde cedo haver um duplo estímulo e os bebês serem capazes de identificar os diferentes sons que representam cada idioma.

Verdades sobre um novo idioma na primeira infância

  • Crianças expostas a 2 ou mais idiomas tem benefícios cognitivos

Há testes canadenses realizados em 1960 que já comprovavam a vantagem cognitiva que bilíngues têm sobre monolíngues.

Desde então, muitas outras pesquisas e até análises cerebrais foram realizadas para dar suporte ao fato de que a exposição a 2 ou mais idiomas aprimoram funções cognitivas como flexibilidade mental, memória operacional, manutenção do foco, e obviamente, a linguagem.

Os bebês nascem capazes de reconhecer e aprender qualquer idioma, e essa habilidade vai diminuindo com o passar dos anos. A introdução de novos idiomas na primeira infância, faz com que a criança tenha ainda mais facilidade e abertura para aprender outros idiomas futuramente.

  • Crianças que falam 2 ou mais idiomas são mais abertas ao novo e diferente

Além das vantagens cognitivas, as crianças em contato com 2 ou mais idiomas têm suas habilidades sociais mais desenvolvidas. Como o cérebro é acostumado a mudar o foco de atenção entre os idiomas, as crianças bilíngues são mais flexíveis a mudanças e se adaptam mais facilmente a novidades. Elas também têm maior facilidade em se colocar no lugar dos outros e entender seus pontos de vista, tornando-se adultos mais empáticos e tolerantes.

É importante lembrar também que cada idioma traz uma grande carga cultural consigo, o que expande amplamente os horizontes de quem as aprende.

Mito e verdade

  • Criança que estuda outro idioma muito pequena, sofre com o excesso de informação

Essa última questão vai depender muito da forma como o segundo idioma é introduzido na vida do bebê ou criança. Estamos vivendo em um mundo onde somos bombardeados por informações e estímulos o tempo todo, então é mais que normal, que nos questionemos como pais e educadores, como esse novo aprendizado pode ser introduzido, sem comprometer a qualidade de vida da criança.

Hoje já sabemos que crianças aprendem brincando, então é muito importante que o contato com esse novo idioma, seja de uma forma lúdica e natural.

Fala-se muito desse “aprendizado natural”, mas o que de fato seria isso?

Crianças na primeira infância quando entram em contato com um segundo idioma, dizemos que ela adquire esse idioma, em vez de aprender. Isso acontece pois ela usará as mesmas ferramentas que usa para adquirir a língua mãe, ou seja, ouvindo pessoas ao seu redor conversando e utilizando esse idioma para se comunicar.

Quando as crianças entram em contato com novos idiomas através da rotina diária e brincadeiras, ela não sente que está estudando algo novo, não sente a pressão de mais uma atividade extracurricular. Ela está apenas sendo criança e brincando, mas seu cérebro está guardando todas as informações e sons novos, para mais pra frente começar a utilizá-los de forma que faça sentido para ela.

É de extrema importância respeitar o “silent period” de cada criança, que é o tempo que ela leva para começar a produzir espontaneamente palavras e frases no idioma novo. Cada criança tem um ritmo diferente, e forma diferente de se comunicar.

Com respeito e diversão, tenham certeza que o quanto antes um bebê ou criança entrar em contato com novos idiomas, mais benefícios cognitivos, sociais e culturais ela terá.

Onde encontrar uma escola de inglês para crianças em Belo Horizonte?

No Portal Sem Choro você encontra diversas opções de escolas de idiomas para a garotada. Acesse e confira a melhor opção para o seu pequeno.

 

__________

gabriela tadano- joy bilingue

Gabriela Tadano é psicóloga de formação na (UFPR) e educadora por vocação. Mãe dos gêmeos Laura e Guilherme e do caçula Eduardo. Coordenadora bilíngue da Joy – Infância Bilíngue.

Contato: gabriela@joybilingue.com.br • +55 (31) 98492-5827
Instagram Joy Bilíngue | Facebook Joy Bilíngue

 

 

 

Cadastre-se abaixo e receba as novidades do Sem Choro.


Comentários