Colégio Santa Maria

Seja a(o) primeira(o) a avaliar

No COLÉGIO SANTA MARIA as crianças são tratadas como devem ser: como as sementes do futuro. Nelas depositamos as esperanças e anseios por um mundo melhor. É nosso dever zelar para que cresçam fortes, sadias, e aptas aos novos desafios que virão. Mais do que isso: é preciso prepará-las para serem o próprio futuro, através da experimentação e vivência da moral, da ética, da fraternidade, amizade e responsabilidade. Acima de tudo, respeitando o tempo e as diferenças individuais de cada uma, com muito afeto e carinho. Assim, como uma pequena semente, ela crescerá alegre, divertindo-se, moldando e modificando o mundo – construindo um futuro melhor, de afeto, amizade, compreensão e tantos outros valores tão escassos e raros nos dias de hoje.

Colégio Santa Maria – compromisso com o futuro.

 

Pampulha

O primeiro Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Antônio dos Santos Cabral, foi o responsável pela criação do então Colégio Arquidiocesano de Belo Horizonte, atual Colégio Santa Maria Pampulha, em 1948. Consciente dos valores da presença da Igreja no trabalho da educação, Dom Cabral criou uma instituição de ensino, expressando, de forma jurídica, canônica e civil, a ação imediata da própria Arquidiocese na escola de nível secundário.

Em 22 de outubro de 1970, o Colégio passou a ser mantido pela Sociedade Mineira de Cultura. No ano seguinte, foi integrado ao Instituto Arquidiocesano de Educação. Em 1984, tornou-se Unidade do Sistema de Ensino Arquidiocesano.

As grandes transformações do bairro Barro Preto, onde o colégio funcionou de 1948 a 1978, ao lado da fábrica de Cigarros Souza Cruz, exigiram sua mudança. Entre 1979 e 1980, foi instalado, provisoriamente, em uma das alas do Colégio Santa Maria Floresta. Em 28 de fevereiro de 1981, inaugurava-se sua nova e definitiva sede, no bairro Planalto.